Gênio Criador Editora

Gênio Criador Editora lança livro sobre memórias de São Caetano do Sul

Obra da jornalista e historiadora Lilian Crepaldi reflete sobre a importância de entender o passado para compreender o presente

Por Danilo Moreira

Como contar a história de um povo e um local? Mais do que simples relatos nostálgicos e legados culturais, essas narrativas representam uma vitrine necessária, que reflete nossa composição como sociedade e contribuem para uma melhor compreensão sobre ela. Próxima a capital paulista, São Caetano do Sul tem uma população que demonstra orgulho da sua trajetória. Com quase 160 mil habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade conta com uma área em torno de 15,4 km2 e ostenta um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do País segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) em 2013.

Assim como outras localidades, a cidade, fundada em 1877, também recebeu diversos fluxos migratórios, o que lhe trouxe uma rica história e identidade. A jornalista e historiadora Lilian Crepaldi se debruçou sobre esse passado, a importância de contá-lo e de que forma esse legado está sendo registrado e compartilhado. O resultado é o livro, Babel nas terras alagadiças: revista Raízes, migrações e memórias em São Caetano do Sul, lançamento da Gênio Criador Editora. A obra é uma reflexão sobre a importância de investigar a história local, tendo como base um estudo de doutorado que a autora realizou com a revista Raízes, informativo da Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul e que visa registrar fatos, datas e personagens que fazem parte da memória regional.

Além de mostrar que os fenômenos da natureza, a guerra, os problemas sociais e até o fascínio pelo novo podem levar às diferentes migrações, o livro destaca a importância da valorização do passado e a tradição para compreender os dias atuais, além de entender a composição e identidade de uma população. “É comum que qualquer sociedade precise investigar o passado para explicar o presente. A busca, no entanto, tem também um caráter regenerador no ontem para alcançar o nosso entendimento como sociedade”, afirma a Diretora Editorial da Gênio Criador, Cleusa Sakamoto.

livro babel Revista RaízesObra analisa páginas da revista Raízes

A autora, Lilian Crepaldi, é professora em cursos de Graduação e Pós-graduação em áreas da Comunicação na Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (Fapcom) e na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). A autora também integra o grupo de pesquisa e laboratório de produções “Memórias do ABC” (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq e USCS), do grupo "Smart Media & Users Research Group" (CNPq e USCS) e do grupo "Criatividade e Inovação na Comunicação" (CNPq e Fapcom).

Lilian é Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), e também Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), onde também obteve o Bacharelado e Licenciatura em História. Ela também cursou aperfeiçoamento em Trends and Issues in Strategic Communications na College of Journalism and Communications da University of Florida (EUA).

Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo, atua desde 2001 na área com foco nos temas: cultura, turismo, saúde, ciências, economia e relações internacionais. Trabalhou em empresas como TV Globo, Brazil Media Communications (BMComm), editoras Todas as Culturas e Quadrívium, Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul e Agência Universitária de Notícias da USP.

Falando de casa

“Como moradora da cidade, sempre me despertou atenção a forma como os europeus e seus descendentes eram retratados e tratados na cidade, contendo aquele ar de superioridade em relação a outros grupos culturais, como os migrantes nordestinos, por exemplo”, conta a autora.

Segundo Lilian, durante o doutorado em Comunicação e Semiótica na PUC-SP, ela se interessou em abordar a temática e decidiu investigar se essa percepção era real ou mera impressão. O produto de análise definido foi a revista Raízes, criada pela Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul em 1988. “Escolhi essa publicação tanto pela longevidade como pela qualidade da produção, sendo o principal veículo de memória da cidade”, conta a pesquisadora.

A revista apresenta registros sobre fatos históricos, conjunturas, afetos, saberes, práticas, curiosidades, além de destacar feitos e a trajetória de moradores que contribuíram significativamente para a cidade e a sua construção social. “Os moradores se sentem representados em suas páginas e compartilham a publicação com seus familiares. É comum encontrar nos eventos de São Caetano alguém que conhece pessoas que já tenham sido entrevistadas ou fotografadas pela equipe da Fundação – que sempre atua com muito carinho e profissionalismo com os habitantes”, afirma.

Durante o estudo, realizado entre os anos de 2013 e 2014, a pesquisadora leu as edições produzidas desde 1988 até então, selecionando alguns exemplares com grupos culturais específicos para fazer uma análise mais aprofundada sobre a abordagem histórica. “Também colhi relatos de colaboradores da revista, ex-presidentes da organização e participantes mais assíduos”, comenta a jornalista.

Lilian Crepaldi Genio CriadorA jornalista e historiadora Lilian Crepaldi, autora do livro

Dentre as principais conclusões da pesquisa, Lilian observou que a revista, que ela classifica como um veículo de “jornalismo memorialista”, cumpre um papel importante ao mostrar a diversidade de diferentes grupos culturais existentes na cidade, e não apenas de imigrantes europeus, como pensava ao iniciar os estudos. “Observei que as pautas estão, com o passar dos anos, cada vez mais diversificadas, assim como o direcionamento dos textos”, diz.

A autora conta que o maior desafio durante o processo foi separar a pesquisadora da moradora – Lilian vive na cidade desde que nasceu. “No fim das contas, optei por procedimentos metodológicos que assumem logo de início essa influência no olhar do pesquisador”, afirma.

Ela explica que o livro destaca a importância das instituições e veículos de memória como agentes que contribuem para o conhecimento. “Em tempos tão difíceis como os que estamos vivendo, é fundamental conhecer o passado e entender como ele é construído de acordo com múltiplos interesses”, comenta a pesquisadora.

Lilian conta que conheceu a Gênio Criador Editora por meio do contato com a amiga, professora e Diretora Editorial, Cleusa Sakamoto, com quem leciona há dez anos na Fapcom. “Publicar pela Editora foi uma excelente experiência, na qual recebi toda a atenção necessária e de forma profissional, do início ao fim do processo”, destaca.

Além de analisar formas de contar as memórias da cidade, o livro também representa para Lilian uma homenagem a uma pessoa especial: sua mãe, Lideli Crepaldi, que faleceu no ano passado. “Ela era psicóloga e professora universitária e sempre me inspirou em todos os aspectos da vida. Era uma pessoa incrível, a melhor que já conheci. Quis publicar o livro para ela”, relata.

Banner de lançamento livro Babel Revista RaízesBanner de lançamento do livro

Cleusa destaca que a obra abrilhanta a acervo de publicações da Editora, pois, sua abordagem interdisciplinar abre perspectivas de análises múltiplas para o Jornalismo, à História, à Cultura e à formação humana da coletividade de São Caetano do Sul. “Por meio do estilo peculiar da professora Lilian, que é impecável no domínio da construção textual, considero que esse trabalho será um sucesso editorial!”, comenta.

Gostou? Então venha conferir a obra de perto e ainda conversar com a autora em uma seção de autógrafos. Anote na agenda o evento de lançamento do livro Babel nas terras alagadiças: revista Raízes, migrações e memórias em São Caetano do Sul:

Data: 31/8/2019
Horário: às 15h
Local: Espaço Cultural Casa de Vidro da Fundação Pró-Memória de São Caetano do Sul
Endereço: Avenida Dr. Augusto de Toledo, nº 255, Santa Paula – São Caetano do Sul – São Paulo – CEP: 09540-080

Com informações de: G1 e São Caetano Digital

Faça a diferença e multiplique!

Busca