Gênio Criador Editora

Obras abordam sobre importância de discutir, identificar e combater a discriminação racial, além de outras questões sobre a população negra

Por Danilo Moreira

Recentemente, o assassinato do norte-americano George Floyd por um policial branco gerou bastante repercussão na Imprensa mundial e incendiou manifestações antirracistas em vários países. Nas mídias sociais, celebridades e anônimos passaram a postar apoio aos movimentos antirracistas com hashtags como #BlackLivesMatter (vidas negras importam, em português, frase que simboliza o movimento internacional).

O fato é que o momento é um sinal emblemático sobre a importância da conscientização e combate à discriminação racial na sociedade. No Brasil, ainda que o racismo seja crime desde 1989, não é raro encontrar mais e mais episódios gravíssimos de desrespeito e violência contra essa população (como o caso do menino carioca João Pedro) que indicam o quanto é essencial e urgente abordar sobre esse assunto.

Consumindo de obras acadêmicas à ficção, pessoas relatam a paixão pela leitura e como ela tem agregado em seus cotidianos e conhecimentos neste período

Por Danilo Moreira

É fato que a pandemia afetou a vida de todas as pessoas, levando à necessidade de adaptações na rotina. Gerenciar este novo momento talvez seja uma tarefa difícil inclusive do ponto de vista psicológico, e o hábito da leitura é uma das ferramentas que ajudam a passar por este período. Além do entretenimento, ler livros pode ser importante momento de relaxamento, meditação e expansão do conhecimento.

A Gênio Criador Editora conversou com alguns praticantes do hábito da leitura para indicarem o que estão lendo durante a pandemia. São pessoas de diferentes faixas de idade e profissões que, além de indicar obras, também vão contar como o hábito da leitura tem ajudado durante o período da pandemia. Veja as incríveis respostas e indicações que recebemos. Tome nota e leia você também!

Segundo Psicóloga da USP, fazer atividades que gosta (como ler livros), prevenir-se de fake news e buscar apoio quando necessário são algumas das medidas que ajudam neste momento

Por Danilo Moreira

A pandemia da Covid-19 tem modificado a vida de bilhões de pessoas em todo o mundo. O excesso de notícias (verdadeiras ou não) sobre o assunto, o distanciamento físico, as alterações bruscas e radicais na rotina, as consequências socioeconômicas e políticas decorrentes desse cenário podem provocar desconfortos emocionais ou, se persistentes, transtornos psicológicos mais sérios. É comum que esses períodos de crise gerem sentimentos e emoções negativas, tais como medo, raiva, angústia, tristeza, solidão, além de ansiedade e estresse.

Em um momento tão desafiador como este, é importante buscar o equilíbrio necessário para manter a saúde mental. Para falar sobre este assunto tão importante, a Gênio Criador Editora entrevistou a Professora do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), Leila Tardivo. A especialista é docente nos cursos de graduação e pós-graduação, além de orientar pesquisas em mestrado, doutorado e pós-doutorado da instituição. Leila também é Coordenadora do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clínica Social Apoiar, serviço que fornece atendimento psicológico à comunidade.

Obras abordam as características do Código de Defesa do Consumidor, os principais abusos e quais são as medidas legais necessárias para fazer valer os seus direitos

Por Danilo Moreira

É consenso que o consumidor brasileiro na atualidade está mais exigente em relação ao atendimento, qualidade dos produtos e prestação de serviços. Mesmo com uma consciência maior sobre o seu papel, ele ainda enfrenta diversos desafios no que diz respeito aos seus direitos. Para fomentar a importância dessa premissa, no dia 15 de março é celebrado o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, criado com o objetivo de conscientizar sobre a importância do tema e do compromisso das empresas em respeitar as leis que regulamentam a relação de consumo.

A origem da data remonta ao ano de 1962, quando o então Presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, aprovou o código de defesa do consumidor daquele país e propôs criar o Dia do Consumidor em um discurso histórico no Congresso. Kennedy é considerado o primeiro líder contemporâneo a incentivar a conscientização sobre o tema.

livros sobre radialismo

Obras destacam as características, técnicas e curiosidades desse importante veículo de comunicação

Por Danilo Moreira

Em um mundo com formatos tão diversos de entretenimento e consumo de notícias, engana-se quem pensa que o rádio tornou-se ultrapassado. O veículo continua sendo um dos veículos mais presentes em diversas localidades. Somente no Brasil, de acordo com uma pesquisa da Kantar IBOPE Media publicada em 2019, esse meio de comunicação alcança 83% dos brasileiros. O estudo ainda afirma que 86% das pessoas entre 20 e 49 ouvem rádio, seguido de 83% na faixa dos 50 até 59 e 82% entre 10 e 19 anos.

A importância desse canal de comunicação fez com que, em 2011, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabelecesse o dia 13 de fevereiro como o Dia Mundial do Rádio, passando a ser comemorado desde 2012. O objetivo é reforçar a consciência de como esse veículo pode contribuir com o debate democrático por meio de informação, entretenimento e interação com os públicos. A data foi escolhida em homenagem à inauguração da United Nations Radio (Rádio das Nações Unidas) em 1946.

Página 1 de 14

Seja um Gênio você também!

Busca