Gênio Criador Editora

Livro Felicidade na Prática de Lígia Oizumi

Autora sul-mato-grossense conta em livro autobiográfico como superou a depressão e embarcou em um modo diferente de ver a vida — que ganhou asas por meio de seu projeto social

Por Danilo Moreira

Todos nós temos nossos desafios pessoais e medos — em maior ou menor grau. Mas, você já parou para pensar se a forma como costuma lidar com eles tem te trazido bons resultados? Será mesmo esse o caminho?

Aos 25 anos, Lígia Oizumi tinha seus pilares mentais abalados pela depressão. Após finalmente conseguir superar a doença, ela tomou decisões que mudaram radicalmente a sua forma de enxergar e vivenciar a vida, embarcando em uma intensa jornada de autoconhecimento e conquistas. Ela resolveu contar sobre essa experiência no livro Felicidade na prática — O que acontece quando seguimos a voz do coração, lançamento da Gênio Criador Editora.

Na obra, Lígia compartilha diversos aspectos da sua vida desde os primeiros anos na cidade natal, Campo Grande (MS). A autora também conta sobre o período da depressão, os preconceitos que sofreu e como enfrentou a doença. Após o tratamento, toma uma decisão radical: deixar para trás o conforto e a segurança de uma carreira consolidada no Brasil e ir morar no Japão, terra onde seu pai e avós nasceram.

A partir dessa mudança, ela teve contato com diversas culturas e filosofias, visitou e morou em outros países (como os EUA), e ressignificou a sua existência. Além disso, desenvolveu um projeto social com origamis (arte tradicional japonesa com dobraduras de papel) de tsuru — um pássaro sagrado que vive no Japão e representa paz, boa sorte, longevidade e saúde.

Em entrevista à Gênio Criador Editora, Lígia conta mais sobre as experiências que viveu e o processo de criação do livro. Veja a seguir:

Escritor de Jandira (SP) conta sobre sua trajetória e seus trabalhos voltados ao incentivo da leitura

Por Danilo Moreira

Há muito falamos da importância da leitura e dos livros para o desenvolvimento humano. Hoje vamos falar de uma pessoa que, além de ser apaixonada pela arte da escrita, promove ações que ajudam a escrever a história de outras pessoas.

Morador de Jandira, cidade da Região Metropolitana de São Paulo, Marcos Torquato, de 45 anos, é conhecido como o Poeta Andarilho. Isso se deve ao fato de que Torquato rodou mais de 100 localidades para vender suas obras e fomentar o hábito de ler livros. Especializado em poemas, o escritor e jornalista também é engajado em projetos de incentivo à leitura. 

Obras abordam sobre importância de discutir, identificar e combater a discriminação racial, além de outras questões sobre a população negra

Por Danilo Moreira

Recentemente, o assassinato do norte-americano George Floyd por um policial branco gerou bastante repercussão na Imprensa mundial e incendiou manifestações antirracistas em vários países. Nas mídias sociais, celebridades e anônimos passaram a postar apoio aos movimentos antirracistas com hashtags como #BlackLivesMatter (vidas negras importam, em português, frase que simboliza o movimento internacional).

O fato é que o momento é um sinal emblemático sobre a importância da conscientização e combate à discriminação racial na sociedade. No Brasil, ainda que o racismo seja crime desde 1989, não é raro encontrar mais e mais episódios gravíssimos de desrespeito e violência contra essa população (como o caso do menino carioca João Pedro) que indicam o quanto é essencial e urgente abordar sobre esse assunto.

Consumindo de obras acadêmicas à ficção, pessoas relatam a paixão pela leitura e como ela tem agregado em seus cotidianos e conhecimentos neste período

Por Danilo Moreira

É fato que a pandemia afetou a vida de todas as pessoas, levando à necessidade de adaptações na rotina. Gerenciar este novo momento talvez seja uma tarefa difícil inclusive do ponto de vista psicológico, e o hábito da leitura é uma das ferramentas que ajudam a passar por este período. Além do entretenimento, ler livros pode ser importante momento de relaxamento, meditação e expansão do conhecimento.

A Gênio Criador Editora conversou com alguns praticantes do hábito da leitura para indicarem o que estão lendo durante a pandemia. São pessoas de diferentes faixas de idade e profissões que, além de indicar obras, também vão contar como o hábito da leitura tem ajudado durante o período da pandemia. Veja as incríveis respostas e indicações que recebemos. Tome nota e leia você também!

Segundo Psicóloga da USP, fazer atividades que gosta (como ler livros), prevenir-se de fake news e buscar apoio quando necessário são algumas das medidas que ajudam neste momento

Por Danilo Moreira

A pandemia da Covid-19 tem modificado a vida de bilhões de pessoas em todo o mundo. O excesso de notícias (verdadeiras ou não) sobre o assunto, o distanciamento físico, as alterações bruscas e radicais na rotina, as consequências socioeconômicas e políticas decorrentes desse cenário podem provocar desconfortos emocionais ou, se persistentes, transtornos psicológicos mais sérios. É comum que esses períodos de crise gerem sentimentos e emoções negativas, tais como medo, raiva, angústia, tristeza, solidão, além de ansiedade e estresse.

Em um momento tão desafiador como este, é importante buscar o equilíbrio necessário para manter a saúde mental. Para falar sobre este assunto tão importante, a Gênio Criador Editora entrevistou a Professora do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), Leila Tardivo. A especialista é docente nos cursos de graduação e pós-graduação, além de orientar pesquisas em mestrado, doutorado e pós-doutorado da instituição. Leila também é Coordenadora do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clínica Social Apoiar, serviço que fornece atendimento psicológico à comunidade.

Página 1 de 14

Faça a diferença e multiplique!

Busca