Faça a diferença e multiplique!

Gênio Criador Editora lança livro ‘Estudos sobre a criatividade’

Obra produzida por grupo de pesquisadores aborda sobre aspectos inovadores e a prática da Comunicação do ponto de vista do potencial criativo

Por Danilo Moreira

Em tempos na qual a produção do conhecimento tem se defrontado com desafios ainda maiores, é importante discutir sobre caminhos criativos e inovadores com os quais seja possível atingir esse objetivo com mais eficiência. Pesquisadores, na sua maioria Mestres e Doutores, reuniram estudos importantes nesta perspectiva e estão lançando pela Gênio Criador Editora o livro Estudos sobre a Criatividade – Comunicação e Inovação em debate. Organizado pelos pesquisadores Cleusa Sakamoto e Sérgio José Andreucci Junior, a obra reúne artigos que propõem uma arejada discussão sobre aspectos inovadores e a prática da Comunicação. A obra será lançada oficialmente no dia 24 de novembro na Livraria da Vila, em São Paulo (confira mais detalhes no fim da matéria).

A obra conta com 22 capítulos com variadas visões, perspectivas e aplicações. Dentre os assuntos abordados estão análises dos legados de personalidades como os artistas plásticos Luiz Martins e Ai Weiwei, o Papa Francisco, o filósofo francês Michel Foucault, bem como discute conceitos como Hiper-comunicação e a Pedagogia do Silêncio. O livro apresenta ainda discussões atuais sobre novos paradigmas como o Nobrow e sobre o uso de algoritmos em serviços colaborativos, aplicações de ferramentas tecnológicas e midiáticas que auxiliam desde ao ensino de idiomas à prevenção do tráfico de pessoas, entre outros exemplos.

O livro é a segunda publicação do Grupo de Pesquisa CNPQ-Fapcom Criatividade e Inovação na Comunicação, que reúne Pesquisadores da Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (Fapcom), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Presbiteriana Mackenzie, Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Universidade Anhembi-Morumbi e das Faculdades Anhanguera.

livro estudos sobre a criatividadeLivro reúne 22 capítulos com visões e aplicações variadas

De acordo com Cleusa Sakamoto, que além de Pesquisadora e Organizadora do livro é Diretora Editorial da Gênio Criador Editora, a publicação é destinada a todas as pessoas que possuem espírito curioso e ávido por novidades. “Esperamos que os conteúdos estimulem um diálogo fértil com as perspectivas apresentadas, além de gerar novas associações de ideias, insights e inspirações para ampliações de pesquisas e outras aplicações que contribuam com a sociedade”, afirma Cleusa.

Conversamos com alguns autores para falar um pouco mais da experiência nas pesquisas e a publicação do livro. Veja mais a seguir.

Formas de comunicar ontem e hoje

O livro aborda diversas aplicações do ato de comunicar ao longo dos anos e também na atualidade, gerando incríveis resultados. Um dos exemplos está no capítulo As transformações na história da comunicação humana, escrito pela Professora do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) – Campus Pirituba Hânia Cecília Pilan e a Professora das Redes Municipal e Estadual de São Paulo Mariana Freitas Alonso. O texto faz um panorama de acontecimentos históricos que culminaram nas transformações tecnológicas e seus impactos na comunicação humana desde a pré-história até os dias atuais sob a influência da Internet.

Falando em conectividade, ela também está presente em capítulos como A utilização do Fórum Online como forma criativa para inserir o aprendiz de idiomas na comunidade discursiva da língua-alvo, escrito por Hânia, em parceria com a Professora de língua alemã Natasha Nagata da Cruz. Neste caso, o foco é o uso dos fóruns online como instrumento para aprimorar o aprendizado e prática de um novo idioma como legítima ferramenta de comunicação, tendo como foco os alunos brasileiros que estudam alemão.

Hânia comentou sobre a conexão entre os dois capítulos. “A ideia foi elaborar um panorama sobre a comunicação humana ao longo da História, trazendo para a discussão as possibilidades dos usos das mídias digitais de forma criativa, porém, pensando seus usos e desusos de forma crítica”, destaca a Pesquisadora.

Hania PilanA Professora Hânia Cecília Pilan, uma das autoras dos capítulos

Ela conta que o interesse por trabalhar com esses temas surgiu pelo fato das mídias digitais serem cada vez mais utilizadas como meio de comunicação e informação. “Ainda não sabemos direito os resultados desses usos – muitas vezes sem crivos, desenfreados ou ainda a serviço da desinformação”, afirma. Segundo a Pesquisadora, todos esses novos meios criam discussões fatalistas sobre como o humano irá comunicar – se será, por exemplo, dentro desse novo meio digital que se apresenta nos próximos anos.

Hânia destaca a importância do livro como meio de conhecimento para todas as pessoas de modo geral. “Ele tem uma linguagem que alcança a todos que desejam pensar a Criatividade como elemento vital, possibilitando pensarmos como e de onde ela vem, nos dando asas para voos sem limites ou barreiras”, comenta.

Lidando com a sociedade do cansaço

Além de refletir sobre as tecnologias que auxiliam na comunicação e inovação, o livro também traz conteúdos sobre as consequências negativas da sociedade atual. Exemplo disso é o capítulo Hiper-comunicação & Cansaço Criativo: Ensaio filosófico sobre uma pedagogia do silêncio, que alerta e reflete sobre os impactos dessa realidade. O artigo propõe uma discussão baseada no pensamento do filósofo sul-coreano Byung-Chul Han para entender como a sociedade do cansaço, por meio das comunicações digitais (como os smartphones) e do exercício de uma violência neuronal da positividade, tem comprometido a criatividade humana.

O texto é de autoria do Professor Adjunto e Chefe do Departamento de Educação da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Arthur Meucci, com o professor do Departamento de Educação da UFV Flávio Américo Tonneti e a pedagoga Cíntia de Castro Monteiro. “Nosso objetivo é mostrar que a Hiper-comunicação na atual busca pelo desempenho sobrecarrega nossos sentidos e nossa atenção, fenômeno que Han classifica como sociedade do cansaço”, destaca Meucci.

Arthur MeucciO Professor Doutor Arthur Meucci, um dos autores do capítulo

O artigo destaca que a Hiper-comunicação está associada ao aparecimento de diversos transtornos mentais como angústia, depressão, síndrome de burnout, resultando em um esgotamento do viver criativo. Ao traçar diálogos com teorias de filósofos como Foucault, Donald Woods Winnicott e Vilém Flusser, os autores discorrem acerca da chamada Pedagogia do Silêncio, capaz de promover contemplações do ócio criativo, a fruição da cultura, do lazer e dos processos criativos como contraponto aos males da sociedade do cansaço.

Meucci conta que a ideia de escrever o artigo surgiu durante sua atuação no Departamento de Educação da UFV, na qual teve contato com diversos casos de depressão e tentativas de suicídio de estudantes. Ele explica que, como os autores do artigo já tinham lido sobre as obras de Han e realizado as mesmas conexões teóricas que o filósofo, os três decidiram escrever o assunto, ainda mais após observarem que os estudantes que decidiram abdicar de smartphones e redes sociais apresentaram uma melhora significativa em suas condições.

Ele explica que o maior desafio foi tratar de uma epidemia de adoecimento mental que afeta os estudantes sem poder fazer uma pesquisa empírica – a Universidade não autorizou entrevistas com estudantes que tentaram suicídio ou apresentaram graves problemas de adoecimento mental a fim de preservar a integridade dos mesmos. “Achamos melhor basear nosso artigo em uma palestra que eu e Flávio ministramos na Semana Acadêmica da Pedagogia da UFV, utilizando os livros de Han para estudantes do curso”, destaca.

Época de profundas transformações

A realidade continua em constante transformação, com mudanças acontecendo em um processo e velocidade nunca antes vistos em outras épocas, o que gera um desafio na compreensão de toda essa complexidade que se configura. Inovar dentro dessa realidade, cada vez mais fragmentada e caótica, é tema de reflexões como a do capítulo Século XXI: Caos como Ordem e Inovação como Regra, do Consultor em Educação Corporativa e Professor convidado do Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA) do Mackenzie, Mousar Casanova. Ele explica que esse tempo rompe com nossa habilidade de fazer previsões sobre o futuro, gerando maior confusão, ansiedade e dúvida. “O mundo está mais fluído e complexo e cada vez mais será necessário conviver com o caos como ordem e a inovação como regra”, destaca o autor.

Ele explica que o objetivo é refletir sobre as transformações da sociedade atual baseado nas teorias do filósofo polonês Zigmunt Bauman, famoso pelo conceito da modernidade líquida, e do filósofo francês Edgar Morin, que aborda sobre o pensamento complexo. Casanova estimula uma discussão a respeito de uma suposta contradição entre a ordem e o caos desmistificada pelo fundador e ex-CEO da Visa, Dee Hock, que apresenta a possibilidade criativa de viver entre eles – cujo conceito ele denomina como caórdico.

Mousar-CasanovaMousar Casanova, autor do capítulo

O Pesquisador conta que a decisão de abordar o tema nasceu da necessidade de orientar alunos e profissionais a entenderem quais são os contornos dessa nova sociedade que precisa, a cada dia, se adaptar a um ambiente confuso, fragmentado e fluído como padrão. Embora o cenário tenha mudado, as pessoas ainda são pressionadas a estudarem e trabalharem sob o imperativo da ordem, tal qual era pensado na Modernidade. “Dessa forma, a ideia é apresentar um caminho possível para dar respostas e soluções mais criativas aos problemas que a vida apresenta, seja na escola, no trabalho ou no nosso dia a dia”, afirma.

Durante os estudos, o autor conta que chegou a algumas conclusões que envolvem a necessidade de desenvolver resiliência e desprendimento para poder, de acordo com o modelo apresentado, transitar entre o caos e a ordem e enfrentar, principalmente o desconhecido dentro desse ambiente. “Não adianta tentar mudar a cabeça, nosso cérebro é apenas interface. É preciso modificar o comportamento”, explica o pesquisador.

Boa janela de oportunidades

Sobre o processo de publicação da obra pela Gênio Criador Editora, os autores fizeram destaques importantes. Arthur Meucci, por exemplo, conta que já publicou outros textos pela Editora. “É uma equipe séria, competente, com genuína preocupação acadêmica. Ter um texto aprovado é sempre uma grande oportunidade”, destaca.

Já Hânia Pilan traduz em uma palavra a definição em publicar pela Editora. “Perfeita! Contamos com pessoas competentes que nos auxiliam e se preocupam com todos os detalhes”, afirma. Mousar Casanova também destaca que já publicou outras obras pela Editora. “Esse é o terceiro trabalho que publico. É uma experiência muito positiva, uma relação de profissionalismo, seriedade e de grande parceria”, reforça.

A Gênio Criador Editora vem consolidando sua presença no mercado com publicações de relevância e com qualidade, graças a participação de autores comprometidos e inovadores que debatem temas atuais e arrojados. “Parabéns todos os participantes desta excelente obra que, sem dúvida, representa uma contribuição ao conhecimento da Criatividade e inovação na Comunicação”, destaca a Diretora Editorial, Cleusa Sakamoto.

Outros assuntos abordados

Além dos capítulos citados acima, o livro também conta com outros temas relevantes escritos por especialistas renomados:

- Consumo, reputação e o papel dos algoritmos em serviços colaborativos, por Alessandra de Castro Barros Marassi;

- Produção editorial, cenário digital e novos paradigmas, por Cleusa Kazue Sakamoto;

- A capa-meme (ou meme-capa?) do jornal sem jornal – Reflexões sobre a primeira página que você não vê no jornal que você lê, por Fernanda Iarossi Pinto;

- O Papa é pop, o Papa é próximo: de onde emana o potencial criativo de Francisco?, por Francisco C. S. Galvão;

- Processos de criação na trajetória artística de Luiz Martins, por Isabel Orestes Silveira;

- História da Comunicação dos séculos XX e XXI: o caminho até a Comunicação Nobrow, por Janaína Quintas Antunes;

- Prevenção do tráfico de pessoas através de ações criativas de comunicação nas variadas mídias, por Juliana Ribeiro da Silva e Gabriela Honorio Soncini;

- O Impacto da Criatividade e Inovação Tecnológica no Mercado de Trabalho, por Keller Reis Figueiredo e Marcos Aurélio Trindade;

- Ai Weiwei: arte e denúncia social, por Leslye Revely e Lilian Crepaldi;

- Uma vida criativa: estética da existência em Michel Foucault, por Luiz de Camargo Pires Neto e Rafael Coelho Pacheco Nogueira;

- Criatividade social-comunicativa-tecnológica: reflexões sobre as formas de estar junto no contexto da conectividade, por Marcella Schneider Faria-Santos;

- Comunicação, Imigrantes e o Nacionalismo no Estado Novo: a criatividade como contributo para a manutenção cultural com o Estado de Origem e a luta ainda presente pela Liberdade de Expressão, por Michelle Asato Junqueira e Ruth Carolina Rodrigues Sgrignolli;

- A linha enquanto elemento organizador na criação tecnológica da imagem, por Patrícia Campinas;

- Educação Transmídia na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) – Memórias Ecanas: a escola pensando a sua identidade, por Paulo Roberto Nassar de Oliveira, Luiz Alberto Beserra de Farias e Ana Claudia Pompeu Torezan Andreucci;

- A atualização da linguagem como ferramenta para educação continuada, por Renato Bulcão;

- Economia, Redes comunicativas e Criatividade: as Mulheres no Mercado de Trabalho, por Rosana Maria Pires Barbato Schwartz;

- O Incentivo à Cultura em Tempos de Tonga da Mironga do Kabuletê, por Sérgio José Andreucci Junior;

- A Arte do videoclipe como plataforma criativa de conteúdo na Publicidade, por Vanderley Postigo, Fernando Mariano e Beatriz Silva Gonçalves.

Gostou? Então não perca a oportunidade e venha conhecer a obra de perto e bater um papo com autores no lançamento do livro Estudos sobre a Criatividade – Comunicação e Inovação em debate. Anote em sua agenda:

Data: 24/11/2019
Horário: das 15h30 às 18h30
Local: Livraria da Vila – Jardim Pamplona Shopping
Endereço: Rua Pamplona, 1.704 –Jardim Paulista – São Paulo (SP) – CEP: 01405-907

Faça a diferença e multiplique!

Busca