Faça a diferença e multiplique!

10 livros importantes para os professores

Obras refletem sobre a profissão de docente, os desafios do ensino, a trajetória da Educação no Brasil e mundo, além de outras questões essenciais para a atividade 

Por Danilo Moreira

Se você neste momento está lendo este texto, pode ter certeza de que, ao longo da sua trajetória, vários professores gastaram horas e dias para te ajudar a desenvolver e aprimorar essa e outras competências relacionadas.

O Dia do Professor (15/10) é uma oportunidade para refletir e reforçar a importância desse nobre profissional para o desenvolvimento humano e da sociedade, além de alertar para as agressões e desvalorizações que a profissão tem sofrido ao longo dos anos no Brasil.

Para homenagear aos professores, a Gênio Criador Editora selecionou alguns livros que podem contribuir para reflexões sobre as funções, os rumos e desafios dessa nobre profissão, além de possibilitar inspirações por meio de relatos de boas práticas.

Selecionamos alguns assuntos gerais que envolvem a trajetória da Educação e dos profissionais docentes, obras que refletem sobre a função de professor e conteúdos que levam a pensar novos caminhos para a profissão e o ensino. Confira a seguir:

livros sobre professores  

1. História da Educação Brasileira, de Paulo Ghiraldelli Jr.

O livro apresenta um panorama histórico da Educação no Brasil desde a Colônia até à contemporaneidade. Utilizando uma linguagem simples e acessível, a obra aborda fatos como os movimentos partidários, as constituições, ações de governantes voltadas ao ensino, os currículos escolares, as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBNs), e outros elementos que passam pela área da Pedagogia e de políticas educacionais. Também são elencados os principais teóricos que fizeram história nesse sentido, entre outras curiosidades que influenciaram a trajetória dos docentes no País. Uma das edições mais encontradas nas livrarias é a lançada em 2014 pela Editora Cortez.

2. Itinerários pela Educação Latino-Americana: Caderno de viagens, de Rosa María Torres

O livro é um registro de uma experiência da educadora equatoriana, que visitou escolas do Caribe e alguns países da América Latina como Argentina, Chile e Brasil entre as décadas de 1970 e 1990. São relatados cinco trajetos por meio de vários “mundos”: o da Educação, o das instituições educativas, dos educadores, das experiências inspiradoras e o das proposições. A pesquisadora relata os desafios que encontrou nas instituições visitadas, bem como as alternativas e soluções criativas encontradas. Publicado no Brasil em 2003 pela Artmed Editora (Grupo A Educação) sob o selo Penso, a obra ajuda a compreender a profissão de docente, os desafios da inovação na Educação e os problemas sociais que impactam o ensino, permitindo traçar comparações entre o cenário brasileiro e outros países da América Latina.

3. História da Educação: de Confúcio a Paulo Freire, de Claudino Piletti e Nelson Piletti

De forma cronológica e panorâmica, o livro apresenta as contribuições de famosos pensadores do Oriente e Ocidente para a Educação ao longo dos séculos. Além dos nomes mencionados no título, também encontramos na obra outras personalidades cujos trabalhos influenciaram a área como Sócrates, Santo Agostinho, Rousseau, Montessori, entre outros. Segundo os autores, a obra é uma importante contribuição ao professor, inclusive para recém-formados e simpatizantes do tema, fomentando a consciência sobre o percurso que trouxe a Educação aos patamares existentes na contemporaneidade, bem como ajudá-los a refletir sobre o presente e o futuro da profissão. A publicação foi lançada pela Editora Contexto em 2012.

4. O Professor Iniciante: Sentidos e Significado do Trabalho Docente, de Kátia Augusta Curado Pinheiro e Shirleide Pereira da Silva Cruz

Lançado em 2018 pela Paco Editorial, o livro reúne pesquisas com o objetivo de colaborar com os processos de formação inicial e acompanhamento do professor iniciante em sua jornada. Tendo como base o contexto do Distrito Federal e de Goiânia (GO) e profissionais que atuam na Educação, a obra apresenta estudos a partir de diferentes categorias como gênero, trabalho pedagógico com a alfabetização, sentido político, desafios e descobertas da função. A publicação traz elementos que ajudam a compreender o início da docência como um momento importante de reconhecimento, pertencimento à profissão e constituição do trabalho do docente como referencial na sua área e para a sociedade.

5. Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire

O nome de Paulo Freire (1921-1997) hoje ressoa de formas distintas em um Brasil cada vez mais polarizado e infestado de fake news. O fato é que esse educador e filósofo brasileiro, reconhecido e premiado mundialmente, possui diversas obras de repercussão acadêmica e que são referência para diversos educadores, sendo “Pedagogia do Oprimido” a sua publicação mais conhecida. Escrita durante o seu exílio no Chile, nela, o autor aborda sobre a democratização da Educação e do seu uso como ferramenta de transformação, relatando também algumas experiências ao atuar com Educação Popular. Ele também apresenta assuntos como a relação entre o opressor e o oprimido, alienação e os impactos do analfabetismo na população brasileira, além de defender uma pedagogia libertadora. Foi lançado no Chile em 1968, mas, no Brasil, foi proibido pela ditadura militar até 1974. Uma de suas versões recentes mais disponíveis é a publicada em 2019 pela Editora Paz & Terra.

6. A Prática Educativa: Como Ensinar, de Antoni Zabala

Nesse clássico da Pedagogia, o autor propõe reflexões, pautas e orientações sobre a ação educativa e caminhos para aprimorá-la. A obra auxilia no desenvolvimento de noções essenciais sobre o papel do professor como planejador, organizador e gestor dos conteúdos de ensino, especialmente professores iniciantes e estudantes de Pedagogia. O autor também apresenta reflexões acerca da função social do ensino e a concepção dos processos de aprendizagem. Lançado em 1998 pela Editora Artmed, até hoje é possível encontrá-la disponível para aquisição na maioria das livrarias mais conhecidas.

7. A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho — O conhecimento é um caleidoscópio, de Fernando Hernández e Montserrat Ventura

Baseada na obra do pedagogo norte-americano John Dewey, os educadores Fernando Hernández e Montserrat Ventura contestam a organização tradicional dos currículos escolares e sua real eficácia na prática. Eles defendem que os conteúdos podem ser absorvidos por meio de projetos coletivos, na qual os alunos passam a ser mais ativos durante o processo de aprendizagem, tornando-se também responsáveis por ela. Apesar de o livro ter sido lançado em 1998, até hoje, ele serve como reflexão para novas práticas no ensino. Uma das edições recentes mais disponíveis nas livrarias é a publicada pelo Grupo A Educação, por meio do selo Penso.

8. O Trabalho Docente: Avaliação, Valorização, Controvérsias, de Bernardete A. Gatti

Lançada em 2013 pela Editora Autores Associados — Fundação Carlos Chagas, a obra levanta questões importantes relacionadas à valorização social do professor no Brasil, permeada por questões que, em alguns casos, são consideradas até controversas no setor. A pesquisadora, que realiza estudos de referência sobre a situação do professor no País, denuncia e defende as condições que os docentes encontram no Brasil, trazendo importantes contribuições analíticas e reflexivas sobre o seu papel na sociedade, suas funções e perspectivas profissionais.

9. Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação, de Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto e Fernando de Mello Trevisani

Há alguns anos, usar o celular era proibido em sala de aula. Hoje, sem um smartphone ou laptop com internet, há professor que não consegue dar aulas. Com os impactos da pandemia de Covid-19 e as medidas de distanciamento social, muitos professores tiveram que incorporar o uso de tecnologias digitais a sua rotina de ensino, tais como plataformas de videoconferência e aplicativos. Dentro desse contexto, o livro pode auxiliar esses profissionais ao abordar sobre a importância e as vantagens do Ensino Híbrido. Baseada nas experiências de professores brasileiros, a obra mostra exemplos de possibilidades da adoção de diferentes configurações de espaço, métodos de ensino inovadores, com currículos escolares mais flexibilizados e integrados ao meio digital. A publicação é de 2015 e foi lançada pelo Grupo A Educação, por meio do selo Penso.

10. As Cem Linguagens da Criança: a Abordagem de Reggio Emilia na Educação da Primeira Infância (volumes 1 e 2), de Carolyn Edwards, Lella Gandini e George Forman

O livro é o relato de uma experiência educativa para a primeira infância (de 0 a 6 anos) realizada na cidade italiana de Reggio Emilia, que tornou o local reconhecido como possuidora de um dos melhores sistemas educacionais do mundo. O livro traz detalhes sobre o desenvolvimento intelectual por meio da focalização sistemática na representação simbólica, na qual levou as crianças a um desenvolvimento surpreendente de habilidades simbólicas e do potencial criativo. A publicação também aborda sobre aprendizagens baseadas nas relações, no contexto sociocultural local e aponta para a importância da documentação pedagógica. É interessante ler os dois volumes, que relatam tanto a concepção da experiência como as transformações nas gerações seguintes, gerando insights e reflexões sobre o papel do profissional do Ensino Infantil. No Brasil, as obras foram lançadas em 2015 pelo Grupo A Educação, no selo Penso.

COMO SURGIU O DIA DO PROFESSOR?

A origem dessa data remonta aos tempos do Império. Em 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila, na tradição católica), o imperador D. Pedro I instituiu um decreto que criou o Ensino Elementar no Brasil, que instituía que “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Além disso, o texto também destacava a regulamentação sobre os salários dos professores, das matérias básicas que deveriam ser ensinadas e até os procedimentos de contratação dos docentes.

Mais de cem anos depois, em 1947, o professor paulista Salomão Becker, junto a outros três professores, decidiram criar nessa data um dia de confraternização em homenagem aos docentes, além de gerar uma pausa no segundo semestre, sobrecarregado de aulas (na época, iam de 1º de junho a 15 de dezembro). O discurso do professor Becker, além de reforçar a ideia de manter a tradição do encontro, acabou também famoso pela frase “Professor é profissão. Educador é missão”.

A celebração se tornou sucesso e foi adotada em todo o País. A data foi oficializada em 1963 pelo então presidente João Goulart, por meio do decreto federal nº 52.682. De acordo com a descrição, o objetivo do feriado é “comemorar condignamente o Dia do Professor”, e “os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias.”

NOVIDADES DA GÊNIO CRIADOR EDITORA

No Dia do Professor (15/10 – quinta-feira), às 20h a Diretora Editorial da Gênio Criador Editora, Cleusa Sakamoto, irá participar da livre Criatividade e Subjetividade com a Professora, Escritora, Atriz e Palhaça Roberta Marcolin Garcia e o Professor Rossini Castro, autor do canal Quinta do Livro, no YouTube. Não perca!

Além de um gostoso bate-papo, Cleusa irá disponibilizar gratuitamente o e-book Criatividade e Suas Definições Básicas, de sua autoria, como presente aos educadores.

O livro é uma coletânea de textos que abordam sobre aspectos do potencial criativo humano, capacidade que ganhou novos contornos com a pandemia de Covid-19 e os impactos desta no cotidiano e nas profissões.

Você pode assistir a esse encontro clicando aqui. Para saber mais informações sobre a live, acompanhe a página da Gênio Criador Editora no Instagram e Facebook.

Aproveitando, a Gênio Criador Editora deseja a todos os professores muito sucesso, resiliência e criatividade para continuarem exercendo a profissão em meio a tantos desafios.

Com informações de: Nova Escola, Instituto Claro, EscolaWeb, Livro & Café, Guia Docente, Brasil Escola e Guia do Estudante 
Fotos: Max Fischer/Pexels e August de Richelieu/Pexels

Faça a diferença e multiplique!

Busca